Região

[Região][slideshow]

Barra Velha )) Historiador Cacá Fagundes estreia na literatura infantil

 






Por Juvan Neto
Jornalista




Uma cachorrinha que vive numa pequena ilha paradisíaca, de águas calmas e cristalinas e que quando se sente sozinha, nada até o continente para correr, brincar e fazer muitas travessuras: essa é a narrativa do mais novo livro de literatura infantil que será lançado em Barra Velha dia 26 de março.



O autor é o professor José Carlos Fagundes (Cacá Fagundes), nessa obra que tem como ilustradora a artista plástica Enoi Dilly. “Travessuras e Travessias de Safena”, quinto livro de Cacá e que marca sua estreia na literatura infantil, foi inspirado na história real da cadelinha Safena, que vivia na Ilha das Canasvieira, orla de Itajuba, Praia do Grant.



A diagramação do trabalho foi feita pelo jornalista Juvan Neto e o custo da obra subsidiado por um apoiador da literatura infantil morador da Praia do Grant. Segundo Cacá, o livro nasceu de uma brincadeira que procura mesclar a realidade e o lúdico, protagonizada pela cadelinha Safena, cujo donos (Joel Miguel Hein e Tairine P. Hein) são moradores da ilha.





O autor diz que a ideia de escrever para crianças surgiu no trabalho diário na biblioteca “Extensão Gasino” (extensão da Escola Básica Municipal Antônia Gasino de Freitas instalada na antiga sede da Escola de Educação Básica David Pedro Espindola, no bairro São Cristóvão), quando observava as professoras contando histórias para seus respectivos alunos.



Por conta da pandemia, o lançamento será simbólico e acontecerá dia 26 de março, quando Cacá pretende repassar 250 livros para a Secretaria Municipal de Educação de Barra Velha. “Travessuras e Travessias de Safena” tem 16 páginas, tiragem de 1.000 exemplares e foi impressa pela Gráfica e editora Odorizzi, de Blumenau.



O lançamento também representa mais uma ação da Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina – Seccional Barra Velha – e é o quinto lançamento de um imortal desta academia, segundo contabiliza a presidente Leila Petry. “Um lindo trabalho; impossível não embarcar nessa viagem”, avaliou a presidente.